segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Mas o que importa o presente, passado - haverá futuro?

 Vejo fotos do passado, onde tudo vai se mesclando com o presente. E se o futuro for o sono eterno em algum cantinho de céu ou mesmo num inferninho ardente, haveria de ser esse o verdadeiro presente?
No mosteiro Zen, seríamos todos monges. No bar da esquina, embriagada de vinhos doces e baratos, tendo como companheiros brutamontes suados e até refinados senhores, serias tu mulher da vida, apenas um naco de carne qualquer. Mau agouro ser mulher e da vida? Mas a vida é boa e bela, já diziam ilustríssimos poetas da modernidade digital.
Vamos por partes, usemos a razão. Que se dane a razão enquanto o mundo se estilhaçar em "sujos, feios e malvados". Sonhávamos com aquele oásis onde tendas se refrescavam à sombra das tamareiras, mas deceparam as tamareiras e a água secou em São Paulo. Essa mesma água que se evaporou dos ambiciosos corações dos homens e mulheres sem fé, fedorentos da lama do dinheiro fácil. Por isso, revejo fotos amareladas. Se somos infelizes? Para que nos serve o conceito de felicidade? 
Brindemos com o vinho amargo.


11 comentários:

Guaraciaba Perides disse...

talvez sonhar uma realidade melhor seja considerada alienação, mas no fundo de cada alma sempre brilhará uma gema rara de alma que espera a lapidação.Como dizem os grandes escritores que vivenciaram a vida em seus múltiplos aspectos, na alma de uma prostituta pode haver um oceano de amor e misericórdia, muito além do jardim dos palácios e das vilanias.
Um abraço (adorei os seus escritos)

Daniel Costa disse...

Querida amiga Vanuza, com roupagem nova aqui estás, com uma crónica, interventiva. Ao mesmo tempo, numa prosa poética.
A excelência é a que sempre encontro nos teus escritos.
Se tenho andado sumido, à devido à revisão de provas do meu próximo, novo livro.
Beijos

O Árabe disse...

Sim, Vanuza: às vezes, devemos usar a razão... e em outras, que se dane a razão! Gostei do texto: é belo, e tem um que de surreal. Boa semana, amiga!

O Sibarita disse...

Ei sua meninazinha retadinha! kkkkkk

Mais um belo texto! Por vezes é tão bom perdermos o juízo, né não? E se for no amor então... kkkkkkk

Relembrar através de fotos do passado é tão bom, essa foto mesma do cinema é porreta.

Quanto a falta d'água em São Paulo, é um aprendizado que eles de Sampa estão passando, vai ver que é para sentir como no sertão se vive assim e para eles terem mais humildade conosco, né não?

Sim blindemos com o vinho amargo pelo qual eles estão passando... kkkkkkkk

PORRETA!

O Sibarita

Francisco Sobreira disse...

Cara amiga Vanuza,
Penso em identificar no seu texto um sentimento de nostalgia, quando você se queixa do presente e não pode saber o que lhe reserva o futuro - daí o recurso à visão de imagens amarelecidas do passado. Bom vir por aqui, para ser presenteado por textos bem escritos e que dão o que pensar. Espero que esteja tudo bem com você. Grande abraço.

Vanuza Pantaleão disse...

FRANCISCO SOBREIRA, meu amigão do coração, você apareceu!

Está tudo bem, amigo!
E com você? Com certeza que sim.
Que saudade do teu blog de cinema!
Mas eu sei que precisavas dar um tempo e espero, vou continuar esperando que você volte um dia.

Te respeito muito, amigo!Obrigada, muito obrigada pela tua honrosa visita.
Beijo carinhoso e aquele abraço bem apertado!!!

O Sibarita disse...

Agora que reparei na foto é vc essa mocinha de shorte sexy olhando umas fotos, né? kkkkk

Rrrrapppaaazzzzz... kkkkkk

O Sibarita

Olhos de mel disse...

Amiga querida; que bela reflexão!
Os homens, infelizmente, estão com os coração murchos. Já é difícil se ouvir falar de amor, mas aquele amor meigo, carinhoso, encantado.
Já não se aprecia uma flor...esquecemos de fato os sonhos, vivemos na corrida desenfreada, sem o abraço, sem aconchego, sem esse tão esperado amor.
As vezes me pergunto: isso lá é vida?
Adorei! É uma belíssima prosa poética!
A casa está vazia. Arthur voltou pra casa ontem. Agora é esperar que possa ir por lá.
Beijos meus e dele pra você.

Fá menor disse...

Claro que haverá futuro.
Há que percorrer o caminho, sem desânimo.

Bom fim-de-semana, amiga. beijinhos

Graça Pereira disse...

Claro que para muitos...não haverá futuro! Será o grupo dos que a morte levar. Mas o mais triste, é ver jovens, crianças sem futuro...Isso é morrer com vida!!
Beijo
Graça

Ana Tapadas disse...

Brindemos então com esse vinho, mas na esperança de outras colheitas!

Beijo