terça-feira, 12 de março de 2013

Filhas das Estrelas - Parte 3

Petrônio pergunta, mas antes mesmo que Célia tenha tempo de pensar, ele mesmo toma a iniciativa de mudar o rumo da conversa, numa espécie de arrependimento, o que lhe aprofunda as rugas do rosto.
- Deixa pra lá! Vamos ter o momento certo para tratarmos disso e muito mais. Precisamos mesmo é pegar esse helicóptero e sairmos logo daqui, esse lugar é perigoso para vocês, eles estão lhes seguindo.
O coração de Célia bateu acelerado, estava com muito medo, a visão daquele aparelho e o destino desconhecido a deixaram paralisada.
O piloto gritou lá da cabine: - Sem medo, gente! Temos pressa!
Para entendermos mais as apreensões dessa mulher, teremos forçosamente que traçar um breve perfil das atividades de César Donato, seu marido. Então, vamos a ele.
Don, como era mais conhecido, viveu uma infância pobre como trabalhador rural, sem tempo de ter infância. Certo dia, acordou com planos de fugir de casa e, maltrapilho, sem sapatos, pegou uma carona numa caminhonete e foi para a capital. Menino lúcido e maduro para a sua idade, trabalhou muito duro, mas matriculou-se numa escola e com o salário minguado de faxineiro, foi traçando seu destino. Por fim, formou-se em Ciências Biológicas e tornou-se professor universitário.Como mérito de toda essa vida de estudos e labor, foi convidado a ser cientista num grande laboratório de genética humana e animal.
Conheceu Célia numa festa infantil - ela era professora primária do jardim de infância. Não era lá uma beldade, além disso, as grossas lentes dos seus óculos para miopia, escondiam os tons naturais daqueles olhos meio cinzentos, meio azulados que lhe emolduravam a tez clara. Mas quem poderia explicar esse mistério do amor à primeira vista?
Íris nasceu, a casa encheu-se de uma energia boa, mágica; sons de risadinhas infantis, aromas de leite materno, roupinhas cor-de-rosa no varal. Dois anos se passaram assim, felicidade ilimitada e roseiras brancas no jardim. Porém, Don, pouco a pouco, passou a dispender mais tempo e energia no laboratório. Célia percebia também que as conversas se tornavam mais curtas e ríspidas quando se tratava em dar explicações para essas mudanças.
Que pesquisas realizava Don? E por que não se aprofundava no assunto?
Na próxima e última parte, teremos todas essas indagações respondidas.
Mais uma vez, fico-lhes muito grata!
Até lá!

30 comentários:

ReltiH disse...

VA MUY BIEN. EXCELENTE CAPITULO.
UN ABRAZO

Daniel Costa disse...

Querida Vanuza

Uma coisa é certa, não deixas créditos por mãoa alheias neste policial. O leitor fica preso, ao dilema que Dan estará a viver. Ou alguma isvestigação o prende e tudo certo, ou o cientista viverá já a pensar na separação. Tudo leva a crer na futura separação. Raciocemos assim: Donato de maltrapilho, se guindou a cientista e depois de casado, sentiu ter ultrassado intelectualmente, a espesa. Sendo assim o divórcio, estará nos hoririontes. Para resolver fica a parte que diz respeito, à fugida de helicóptero.Vanuza, essa da minha foto em destaque, é graticante. Tentarei fazer por merecer.
beijos de agradecimento e amizade

Rodrigo disse...

Célia está enfrentando uma batalha em seu coração.
A responsabilidade do amor está em seus ombros.

O Amor maternal pela filha, a qual quer proteger da violência que se aproxima.

O Amor de seu marido que, por tanto fora envolvido em encantos e mistérios, mas que ainda habita seus dolorosos pensamentos.
A responsabilidades das escolhas
que movem o Universo...

Beijoo meu Amor!
Rodrigo

isa disse...

Continuo presa à história.
Como gosto do seu geito de escrever.
Beijo.
isa.

cirandeira disse...

Eita!, mas que mistério, hein, "dona Agatha"! Tô gostando
disso, da metamorfose que se avizinha :)

Beijoss

P.S.: queria saber se recebeste um e-mail que te enviei na semana passada.

Lilá(s) disse...

E agora? quanto tempos temos que aguardar para saber qual é o dilema por que a pobre Célia está a passar?
Até lá...
Beijinhos

Anne Lieri disse...

Oi VANUZA!Estou gostando muito da sua história!Deixou vários suspenses para o próximo capitulo e fiquei curiosa com o que Dan faz!Vamos aguardar!bjs e obrigada por sua visita no Recanto!Legal conhecer a familia do Arnoldo Pimentel,sempre posto os textos dele por lá!Volte sempre!bjs,

Aline Andreolla Feijo disse...

Gostei da história, vamos em frente beijo Lisette.

MARILENE disse...

Cheguei atrasada! Li algumas das postagens mas ainda não me inteirei de toda a narrativa que já fez. Sua forma de contar os fatos prende a atenção. Voltarei para ler tudo. Bjs.

São disse...

Não comento, porque não li tudo

Só digo que gostei imenso de rever o neto , que é uma maravilha de criança, da nossa Lucinha: Arthur!

Sejam felizes, minha linda.

Zilani Célia disse...

OI VANUZA!
ADOREI, PRETENDO VOLTAR PARA CONTINUAR LENDO.
VI QUE SOU TUA SEGUIDORA DE BASTANTE TEMPO, MAS, MUITAS VEZES PASSAMOS A TRILHAR CAMINHOS DIFERENTES NA BLOGOSFERA E NOS PERDEMOS DE ANTIGOS AMIGOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

Severa Cabral(escritora) disse...

BELO ALVORECER MINHA AMIGA QUERIDA !
ESSE TEXTO ME ELEVA EM MAIS UMA BOA LEITURA .TENS O DOM DA ESCRITA E ISSO TE FAZ UM SER ESPECIAL.A LEITURA TEM UM CONTEXTO MUITO CONVIDATIVA COM SUAS INTERROGAÇÕES QUE NOS DEIXA O DESEJO DE JÁ LER O PRÓXIMO CAPITULO .
GRATA PELO CARINHO DEPOSITADO NO FOLHAS DE OUTONO.ME DEIXA MUITO FELIZ SUA PASSAGEM POR LÁ !!!!!!!!!!!!!!!!!
BJSSSSSSSSSSSSSSSSS

...Drika disse...

Oi Van... graça e paz, minha amiga! Desejo profundamente que voce esteja muito bem. Adorei seu espaço 'novo', ficou lindo!!! Que saudades de você, das nossas 'conversas'trocadas por aqui. Eu estou bem... entrando ainda neste ano rsrsr
bjs no coração e fica com nosso bom Deus!

...Drika disse...

Oi Van... rsrrs você é a segunda pessoa que me diz isso. Não vou sumir mais não e aos poucos vou voltando ao nosso espaço de amizade por aqui.Bom falar com voce de novo... Abraços a todos os seus, amiga querida! bjs.. Deus nos abençoe!

O Sibarita disse...

Ei moça! kk Qual é o caso desse Don direto no laboratório gastando energia, hei? kkkkkkkkk

Sendo, assim, à noite Célia passa sufouco, procura a enrgia do Don e cadê? kkkkkkkkkk Foi toda gasta no laboratório, aí, aí... kkkkkkkk

Esse Don vai sobrar feio, viu? Ai se célia me ouvisse... kkkkkkk


Porreta!

O Sibarita

Olhos de mel disse...

Amiga querida; primeiro vou comentar a foto nova, está linda!
O momento é de apreensão e expectativas. Além do mais, existe a criança que precisa estar fora da confusão.
Um momento em que emoções se misturam; amor, responsabilidade e medo...
Fico no aguardo do próximo.
Amiga querida; estou adorando, viu? Essa veia policial me surpreendeu. Maravilhosa!
Boa semana! Beijos

Leovi disse...

Muito interessante o número de "Filhas das Estrelas".

Olhos de mel disse...

Amiga; rsrsrsrsrsrsrs nosso amigo é assim mesmo... Eita moço danado viu? Ele até me disse que você esteve por aqui... poxa nem marcamos nada. Mas fica para a próxima viu?
Boa semana! Beijos

O Árabe disse...

Mantendo o mistério para nos manter cativos, hein, Vanuza? Mas tá dando certo! :) Boa semana, amiga; manda logo a continuação.

DIGO SIM disse...

Dava pra fazer um filme:)

Bjks

Dmitris Papavanuzas disse...

Boa estória, ainda que... boa, boa! agradou! força!

Olhos de mel disse...

Amiga querida; você é como é: uma pessoa maravilhosa, que admiro muito!
Parabéns pelo dia do blogueiro! Que possamos sempre vir nos embevecer com seus posts! Beijos

Vanuza Pantaleão disse...

O Dmitris Papavanuzas é tímido, gente!
Apareça, seu tolinho!Hahahaha

Sor.Cecilia Codina Masachs disse...

Una agradable sorpresa encontrar este relato.
Gracias
Sor.Cecilia

Lilá(s) disse...

Oi, Vanuza, cadê a continuação? rsrsrsr
Bjs

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa tarde amiga !!!!!
Húmmmmm!!!!!
Vim trazer desejos para que seu final de semana seja fenomenal,aproveitando para agradecer todo carinho e palavras de elogio que me dedicas,mas vejo que é vc que tem um coração grandioso ,que sabe colocar os amigos no topo,isso te faz ser esse ser carismático e alegre...
bjs minha linda !!!!!!!!!!!!!

O Sibarita disse...

Ei esse conto tá rosca, é? kkk Ou Don se picou e deixou o texto a ver navios? kkkkkkkk


O Sibarita

O Árabe disse...

Aguardando a continuação, Vanuza. Boa semana!

Olhos de mel disse...

Amiga querida; passando para lhe desejar uma Feliz Páscoa! Que seja uma época de reflexão, renovação e comunhão!
Beijos

Graça Pereira disse...

Todos os ingredientes necessários para criar suspense...Qual o papel de Don nesta história? Será que conseguiste aqui profetizar o futuro?
Se calhar...
Mil beijos.
Graça