terça-feira, 9 de novembro de 2010

Ai, ai, que bom!

Quando li pela primeira vez Chuva de Caju de Joaquim Cardozo(1897/1978), fiquei tomada de muito prazer. Era aquilo mesmo que eu vira e sentira acontecer no nordeste brasileiro. A suavidade e a poesia telúrica estavam ali presentes nas imagens construídas por Joaquim que, apesar das dificuldades por que passam os sertanejos, ainda assim, ele trouxe-nos calores, sabores e aromas daquele chão crestado pelo sol. - Ei, dona Maria e dona Tereza, o que me trazem aí nesses cestos?
- É caju, meu fio, vai querê? Responderam ambas ao mesmo tempo.
Quem vê e vive cenas assim, jamais vai querer esquecê-las e, se possível, vai passá-las adiante.

Roçados de doces melancias, muricis com odor azedo e forte, umbus com gosto de mel e muitos cajueiros chovendo suas carnes suculentas a descer por nossas gargantas secas. Sucos e lambuzos de frutas e poesia que o Mestre pernambucano traduziu para nós. Até chinês ele lia no original, querem mais do que isso? Para mim é o suficiente se até no Português eu me engasgo.

Joaquim Cardozo não se contentou em ser Mestre na Poesia e sua estrada foi mais longa.
Ele tornou-se um dos maiores engenheiros calculistas do mundo e junto aos cérebros privilegiados de Oscar Niemeyer e Lúcio Costa saiu construindo Brasília, Pampulha e muita arquitetura boa por esse Brasil afora.
Tímido ao extremo, manteve-se afastado das badalações literárias, mas suas Obras - no papel e no cimento - ultrapassaram fronteiras e se eternizaram feito as pirâmides do Egito.

Chuva de Caju

Como te chamas, pequena chuva inconstante e breve?
Como te chamas, dize, chuva simples e leve?
Tereza, Maria?
Entre, invade a casa, molha o chão,
Molha a mesa e os livros.
Sei de onde vens, sei por onde andaste.
Vens dos subúrbios distantes, dos sítios aromáticos
Onde as mangueiras florescem, onde há cajus e mangabas,
Onde os coqueiros se aprumam nos baldes dos viveiros.
E em noites de lua cheia passam rondando os maruins:
Lama viva, espírito do ar noturno do mangue.
Invade a casa, molha o chão,
Muito me agrada a tua companhia,
Porque eu te quero muito bem, doce chuva,
Quem te chamas, Tereza ou Maria?

Musicalmente, já que trouxe aqui o filho, Gonzaguinha, solicito agora, a gentileza ao pai, Gonzagão, para que se apresente e faça Elba Ramalho, essa menina arretada, cantar com voz de pastorinha a Estrada de Canindé. Venha, Elba, cante bonito pra gente!
Ouçam bem essa preciosidade que vai continuar na próxima postagem quando, se Deus quiser, pedirei a Graciliano Ramos que fale de Vidas Secas para quem quiser ouvi-lo. Mas me digam, meus compadres, quem aí sabe que o galo campina quando canta muda de cor? E essa gente andando a pé, vai oiando coisa a grané, coisas que pra mode vê, o cristão tem que andá a pé...

55 comentários:

Canto da Boca disse...

Ai, ai, quantas referências maravilhosas nos trazes! E num momento muito pertinente, onde o racismo, o preconceito, xenofobia, ou afins, explodem dentro do nosso próprio país, numa divisão recorrente (mas que talvez nunca aconteça, será?), entre sudeste e nordeste, onde, indivíduos do sudeste, proclamam um Brasil-São Paulo, unicamente para si, sobretudo, impróprio para os nordestinos, onde nos taxam das mais sórdidas aberrações, não vou reproduzir aqui o que tenho lido, seu blogue não merece ser aviltado pela ignorância e imbecilidade de alguns sudelistas, ou sudestinos. Por isso o duplo suspiro: por Joaquim Cardozo (considerado, um poeta concretista, bissexto), pouco compreendido e pouco difundido dentro do Brasil. Além de ter sido injustiçado, especialmente quando, foi acusado pela queda do Pavilhão da Gameleira, em Belo Horizonte, embora tenha sido absolvido algum tempo depois... Quantas pessoas mais sabem da sua importância, das suas construções Brasil a fora? Será que importa saber que foi ele quem "construiu" a Residencia de Niemeyer? O Maracanãzinho, algumas construções importantes de Brasília? Essas coisas que acontecem no nosso país, e pela homenagem que nos rende, eu me emociono especialmente, como nordestina que sou, e pela beleza da minha região que tu tão lindamente expões aqui. Trazes o brio da minha gente, as cores, os sabores, os odores, os tons, os sons e as vibrações desse pedaço do país, que possui uma identidade tão ímpar, e que respeita a própria idiossincrasia e a dos outros. Nós esse povo que sabemos driblar com alegria as intempéries da natureza e dos homens. Só posso dizer: muito obrigada, viu Vanuza? E deixo-te um carinhoso e respeitoso beijo!

E te convido para vir aqui: http://valemfragmentos.blogspot.com/

um blogue que eu praticamente não divulgo, mas aqui publico obras que me tocam, que me fazem e me traduzem. E a nossa sintonia anda em cima, publiquei semana passada, no aniversário do seu falecimento (04/11), um poema do Joaquim Cardozo, que eu gosto muito.

reltih disse...

QUÉ BUEN POST!!! GRACIAS INMENSAS POR COMPARTIRLO.
UN ABRAZO

Rodrigo disse...

Chuva de Caju...
O nordeste "vivo" no coração do Brasil..
Não são poucas as lagrímas deste povo, assim como grandes são suas alegrias.
Terra abençoada, entregou para o país grandes intelectuias e construtores da nação.
Rica, sensível e merecida homenagem ao Nordeste e a grande figura de Joaquim Cardozo
Um grande beijo!!
Rodrigo

patricia disse...

amiga querida, qué placer leerte y disfrutar de estas bellísimas imágenes!
un abrazo enorme con todo cariño!!!!

Vanuza Pantaleão disse...

Rô, meu amorzinho, é paulista e não desgruda da sua alagoana!!!

cirandeira disse...

Que postagem gostosa de se ler, amiga! Eu que sou uma nordestina "da gema" como dizemos por aqui, sentí-me em casa!
Achei também muito legal que tenhas trazido pra cá Joaquim Cardozo, praticamente desconhecido
pela maioria dos brasileiros. O que, diga-se de passagem, não me surpreende. O que verificamos hoje em dia é o lamentável avanço da alienação e do obscurantismo de ideias, o preconceito, a xenofobia
dentro de nosso próprio país! Pessoas que cospem no prato que as alimenta.Nem quero alongar-me sobre isso, porque é simplesmente um caso de polícia! Não pretendo
estragar a sensação agradável que sentí ao ler tua postagem: tem gosto de frutas, de terra!
Um beijão pra ti

SAM disse...

" Ai , ai, que bom!", amiga!

Joaquim Cardozo! E todas estas maravilhas ilustradas.

Deixo este poema de Joaquim Cardozo:

CANTO DO HOMEM MARCADO

Sou um homem marcado ...
Em país ocupado
Pelo estrangeiro.
Sou marinheiro
Desembarcado;
Marcho na bruma das madrugadas;
Mas-
Trago das águas
A substância
Da claridade.
DA CLARIDADE!
Sou o indefinido,
O inesperado
Viajante da tarde nua,
Que uma dor augusta comoveu ...

Tudo a renuncia,
Tudo
O que eu conservo
De altivo e puro,
Sob o meu manto adormeceu.

Em outros tempos e antigos
Plantei alfaces, vendi craveiros,
Fui hortelão, fui jardineiro;
E a escura terra ...
Terra
Dos meus canteiros,
Sempre arqueava o dorso
Ao gesto amigo
De minha mão.

Hoje provo, na boca, um desgosto,
Hoje tenho, no sangue, um sinal
Que não foi e não é das algemas
Da prisão da Vida,
Nem do jugo da Terra,
Nem do pecado original.
Muito bem sei, senhores,
Que sou um sonho cravado na morte,
Que sou um homem ferido no olhar ...
E que trago, bem viva, entre as nódoas do mundo,
A mancha do meu país natal.

Sou um homem manchado de sombra
No sonho, no sangue, no olhar,
Sou um homem marcado ...
Em país ocupado
Pelo estrangeiro.

Mas esta marca temerária
Entre a cinza das estrelas
Há de um dia se apagar!
Por isso é que me amparo às mãos dispersas da noite ...
E pelos pés difusos do vento é que marcho
Na bruma das madrugadas ...
Trazendo das águas a substância
Da claridade
E um cheiro manso
De manhã fria ...

Oh! Soledade!
Oh! Harmonia!


Bravo, amiga! Sensacional. Obrigada. Beijos com carinho.

Angela Reis (Luna Luz) disse...

"Há uma gente que é, antes de tudo um forte" (Euclides da Cunha)

Então a grande mulher que admiro tanto é uma alagoana arretada?! =)

Minha terra tem araras, tem cajus, palmeiras, sabíás, mar e sol maravilhosos =*

"Caixeiro viajante

Não vim do leste
Nem vim do sul
Sou do nordeste,
De Sergipe, Aracaju (bis)

Tenho a palavra
Na mala e no coração
Levo a esperança
Para o povo do sertão

Sou violeiro do nordeste
Violeiro cantador
Tenho a certeza
Que jesus já me salvou

Não vim do leste
Nem vim do sul
Sou do nordeste,
De Sergipe, Aracaju (bis)

Eu vim de jumento
Andei contra o vento
Comendo poeira
Ao som do carcará

Trago a viola
Uma bíblia e uma história
Pra ao som do pandeiro eu poder cantar (bis)

Sou violeiro do nordeste
Violeiro cantador
Tenho a certeza
Que jesus já me salvou

Meu papagaio das asas douradas
Minha terra é sergipe
Meu papagaio
Minha terra é sergipe
Meu papagaio" (Zé Firmino Malaquias)

Nordestina, sim sinhô!

Maravilhoso post Amiga! =*****

bjos no coração

P.s. O Brasil inteiro é maravilhoso com toda a sua gente. Uma bela homenagem a um pedacinho do Brasil e ao grande Joaquim Cardozo! ;)

Fernanda disse...

Querida Vanuza!

Great Post!

Todo este trabalho dá água na boca.
Esse conhecimento que me deste é tão bom como todos esses frutos que nem o aroma conheço.
Ai, ai, que bom! que deve ser!!!

Beijos doces.

Maria Letra disse...

Coisinhas boas da vida, desta vida que uns tantos milhões de pessoas arruinarão, se outros milhões não vencerem a batalha de revolucionar as suas mentalidades, Vanuza.
Um grande abraço.

Alma Inquieta disse...

Olá Vanuza,

que lindo post e que fotos maravilhosas!
Se os frutos forem tão bons como a sua aparência... é quanto baste!

Um beijo.

Fa menor disse...

Uma chuva de cores e aromas e sabores... muito bom.

Bjos

Arnoldo Pimentel disse...

Tem selos de presente pra você no meu blog, passe lá e pegue, beijos.

Ventosnaprimavera.blogspot.com

ionelmuscalu disse...

Valeu! Tô te seguindo também. Bom final de semana e apareça!

Isa disse...

E não é que me deliciei a lê-la e a ouvir a música? A apreciar o genuíno
falar?
Obrigada por isso!
Beijo.
isa.

Fernanda disse...

Vanuza, querida!

O que dizes????
Mataram Sakineh????????? A sua alma??????
Explica-te.
Por favor


Beijos

Fernanda disse...

Querida amiga Vanuza!

Por mais que doa, tens razão, ela só pode estar completamente destruída... e chego muitas vezes a pensar que estará, mesmo já e há muito tempo, morta!!!

Contudo, quero muito acreditar que não, que valerá a pena, senão por ela própria, por todas as outras que estão no corredor da morte.
Esta também é uma luta contra a pena de morte!

Oxalá consigamos fazer algo efectivamente.

Beijinhos

Costurando-Marias disse...

Grata pela visita e pelas palavras gentis..
Se gostou do meu trabalho, divulgue para suas amigas.
O blog Costurando-Marias é um espaço para apresentar um pouco do meu trabalho e também comercializá-los.
Abraços e muito amor para todos nós.
Namastê!

M@ria disse...

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Vinicius de Moraes

Bom dia com amor e poesia...M@ria

Daniel Costa disse...

Vanuza

Como é bom, quando escreves sobre o nordeste, as pessoas, algumas de nome feito, outras nem tanto. Elba Ramalho, que gosto, nem sabia ser nordestina.
O seu folclore me encanta, e tens sempre aspectos novos comoo da fruta. Vanuza saio encantado.
Ainda não te terei dito, mas abri um novo blog, ENCONTROS LUSO-BRASILEIROS DE POESIA, poia a convite de uma poetisa nordestina, esta escreve, sempre a fazer duo com os meus poemas. O presente talvez não, mas tem escrito belos. Como não hei-de gostar do teu grande Brasil, muito do seu nordeste, de que já tens escrito.
Volto a falar.
Beijos

Fernanda disse...

Querida Vanuza!

Vem conhecer os meus convidados e não só.
Vais gostar de ver. I promise!

Beijos grandes e doces.

Eva disse...

O blog está ainda mais bonito e a ser cada vez mais uma espécie de enciclopédia da cultura brasileira. Parabéns, amiga. Esforço grande mas compensador.
Uma semana cheia de paz e amor para todos vós.
Bjssss

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Vi o filme Vidas Secas, baseado no texto do Graciliano, há muitos, muitos anos!...
O filme é óptimo.
Gostaria de revê-lo mas, sabe...
de há um tempo a esta parte,
por cá, só passam filmes amaricanos...

Beijoca

O Árabe disse...

Continue, sim, Vanuza! Belo post. :) Boa semana, amiga.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Vanuza!

Seu blog faz com que a gente se pós-gradue gratuitamente!

Cada post uma aula!

Quando vi a foto da moça saboreando este belíssimo caju,lembrei-me de minha mocidade em Niterói:em minha casa havia um cajueiro que magicamente florescia e nos presenteava com cajus deste tamanho e deliciosos, sem nenhuma cica...belas e doces lembranças que encontramos por aqui!!


Nooosa! Elba Ramalho é mesmo um rouxinol!!


Meu beijo mais que carinhoso!

Sonia Regina.

* Maria Edméia * disse...

*Querida VANUZA !!! *

*Bom diaaaaaaaaaa !!!

*Como você está, minha

amiguinha ?! Tudo tranquilinho ?!

*Vanuza, você é uma ÓTIMA

professora de Literatura e eu

aprendo muito contigo !!! *Muito

obrigada !!!

*Vanuza, esse *Sr. Joaquim

Cardozo - com Z mesmo ?! - era

BOM MESMO; hein ?! Lia em chinês,

era um ÓTIMO *Engenheiro ... é ...

genialidade é genialidade !!!

*Vanuza, vim aqui para te dar

um abraço virtual, mandar um beijo

para o teu lindo filho Guilherme

e desejar uma deliciosa quarta-

feira para *Vocês !!!

*Fiquem com Deus !!!

P.S. - *Ah, gostei da sua foto

aqui !!!

Guilherme disse...

Muito bom mostrar uma cultura popular e importante para o nosso país, como a cultura nordestina. Notável texto. Um abraço!

lita duarte disse...

Oi, Vanuza.

Tudo bem com você?
Bom te ver no meu blog.:)

Belo post.

Beijos.

Gisele Cavalcante disse...

Que bom que podemos conhecer os grandes autores do nosso país sem memória e através do seu trabalho muito bom de pesquisa.
Obrigada, Vanuza...(Gisele)

Daniel Costa disse...

Vanuza

Aproveitei a reler o teu post, no meu modo de ver a cultura nordestina, vale a pena. É por isso também que estou aqui. Queria convidar-te a visitar o ... LUSO BRASILERO DE POESIA, achei muito intessante como a Ma Socorro escreveu o seu poema, referindo os problemas que afectam a zona. Repara que convite não constitui obrigação, valeu?
Beijos
Daniel

Daniel Costa disse...

Vanuza

As flores sei que não são cravos, mas nâo sei o nome. A foto captei no jartim duma irmã. Na penúltima vez que a vi. Sabia que eram as últimos que semeou. Viria a morrer em Setembro. Portanto são uma recordação.
Beijos

lita duarte disse...

Oiiiiiiii.:)

Valeu, Vanuza.

Beijos.

TROVADOR APAIXONADO disse...

Bom dia! Tenho tios que moram no Recife, vou lá nesse final de ano. Quero provar essas delícias e as praias de lá.
Beijos, menina.

Aracy Crespo disse...

Minha linda e querida Vanuza,

Só você para expressar com tamnha inteligência as coisas boas do Nordeste, num momento muito apropriado quando ainda existem discriminações absurdas de um povo tão acolhedor, parabéns...

Como você já sabe, está dando tudo certo com minha intervenção cirúrgica, a reabilitação será gradativa com fisioterapia, voltei com minhas postagens e obrigada pela torcida. Ainda há pessoas que não acreditam em ANJOS, para mim você é uma prova que eles existem, valeu minha amiga e obrigada pelo carinho de sempre...

Deus te proteja sempre.

Beijos no coração

Olhos de mel disse...

Nossa, minha amiga, que post mais gostoso! Que importa o nome, se a pessoa, traz um valor inestimável?... Na simplicidade do povo, encontramos o carinho e aquele jeitinho de simplesmente ser. Tem coisa melhor?
Bom fim de semana! Beijos

Lilá(s) disse...

Fiz uma leitura gostosa, que bela postagem!
Ficou-me a apetecer provar esses frutos...
Bjs

Pedrasnuas disse...

ADMIRO ESSES HOMENS QUE SILENCIOSAMENTE VÃO FAZENDO A SUA OBRA.
NÃO DÃO NAS VISTAS,MUITO CALADOS POSSUEM TANTA SABEDORIA...
HUMMM...GOSTO MUITO DE CAJÚ,MELANCIA E O MEL DE POESIAS...

HÁ IMAGENS DO PASSADO QUE NUNCA MAIS AS ESQUECEMOS E ISSO SÃO MIMOS QUE A MEMÓRIA GUARDOU PARA NÓS...

BEIJINHOS QUERIDA VANUZA

SAM disse...

Querida amiga,

vim deixar um beijo estalado de bom e que voces tenham um belo fim de semana!

Fernanda disse...

Querida Vanuza!

Já se foi o meu príncipe!
Estou a aguentar firme o baque, impossível não o sentir sempre, e sempre será assim, por mais preparada que se pense estar.

Beijos para ti e para o Guilherme, muitos e doces.

Graça Pereira disse...

Ai que saudade de um cajú bem madurinho, perfumado até dizer basTa!
O sumo escorrendo pelos lábios e as mãos peganhentas de tanto açúcar..
As abelhas perseguiam-nos com a nossa intromissão...mas como resistir?
E a tua linda postagem leva-me ao outro lado do mundo, ali naquela estrada com cafurro a caminho da praia mais marvilhosa da minha juventude... E as mangas sumarentas do outro lado da estrada? Delícia de Deuses...
Quem ama as coisas simples da vida, tornam Mestres de tudo como Joaquim Cardozo!
Beijos carinhosos e um domingo com cajú e mangas...
Graça

Maria Leite disse...

Eita nóis, é bom demais estar de volta por aqui e olha o que vejo?! Uma linda homenagem a minha terrinha, com muito orgulho, Nordestina sim sinhô.Saudades tua amiga, obg por perceber que somos todos iguais, apesar das diferenças.O Nordeste é lindo, venha me visitar aqui em PE, vou ter o maior prazer, bjo.
Maria Leite.

Arnoldo Pimentel disse...

Passei para desejar-lhe um feliz resto de domingo e uma feliz semana,beijos.

O Árabe disse...

Boa semana, amiga. Aguardo o novo post! :)

Graça Pereira disse...

Querida Vanuza
Eu juraria que deixei aqui um comentário...falando sobre aquela foto maravilhosa da moça comendo cajú e eu lembrando-me do aroma doce dos cajueiros de Quelimane que me punham tonta... Estarei a ficar "cocoana" (velha)? Mas eu quase que me lembro do texto, frase por frase...olha, não sei explicar o que aconteceu...
Linda a tua postagem e chego á conclusão que Moçambique tem muito do Brasil!!
Beijocas
Graça

ANA PAULA disse...

Olá Vanuza
Extraordinário texto.
Linda homenagem a quem deixa escrito no tempo, o amor imenso pelo estar e pelo ser de sua gente...
É um prazer estar aqui consigo, lendo e relendo, "a aguarela" de tudo o que nos quer transmitir, num sentimento de partilha e bem querer.
Um abraço de muita amizade

citadinokane disse...

Vanuza,
Conheci no Rio Grande do Norte o maior cajueiro do mundo... Maior que tudo é o povo nordestino.
Viva o povo brasileiro!
abs

Lílian & Roberto disse...

O povo do nordeste é bom. Tudo é especial por lá e Joaquim Cardozo merece essa homenagem.

Lílian & Beto

Vanuza Pantaleão disse...

Betinho e Lílian,
Valeu, amigos!
Amo vocêssssssss!!!

rosa-branca disse...

Passei para desejar uma boa semaninha. Beijos com carinho

SAM disse...

Muitos beijos, amiga querida!


PS:Voce disse muito bem, amiga. Fiz um texto recente ( diverso dos questionamentos do poema postado no Sam) Flor do Quereres, inspirado na música de Caetano.

Pedrasnuas disse...

MENINA,OBRIGADA PELA ALEGRIA,TRANSPARÊNCIA,PELA BOA DISPOSIÇÃO DAS SUAS MENSAGENS NOS MEUS CANTINHOS...

"AI,AI QUE BOM!"

DIGO EU .

MIL BEIJINHOS AMIGOS

SAM disse...

Com Leila Pinheiro, nunca ouvi. Vou procurar agorinha na net! Conheço as versões mais antiguinhas. Com Maria Bethânia, que amo!

Meninaaaaaaaa Graciliano Ramos? Vem maravilhas por ai! Já estou ansiosa!

Beijos, querida. Até já e sempre!

Arnoldo Pimentel disse...

Tem selos de presente pra você no meu blog
Ventosnaprimavera.blogspot.com

Beijos

Pedrasnuas disse...

ENTÃO...TINHAS LÁ O PRÉMIO NO SEI LÁ E NÃO VISTE....VANUZA!!!

BEIJINHOS

Manuel Luis disse...

"Como um pingo de caju" porque é assim que saboreio este trabalho, não esqueça a família porque merece estar bem acompanhada.
Abraço