quinta-feira, 10 de abril de 2008

Trovinhas Amorosas... (Final)

Paixão doce paixão
Me inspiras a todo instante
Sou teu pão e teu tesão
Só nos dois seguindo adiante









Se moras em mim
Eu hei de te querer
Preciso que digas sim
E esse amor vai crescer








Nesse instante quero crer
Ao tocar no teu cetim
Deixando transparecer
Todo o infinito em mim








Por toda a vida minha
Serei seu bem serás meu
Passo a passo o amor caminha
Foi isso que Deus prometeu









Teu perfume penetrante
Me causa estranho calor
Odor de um corpo alucinante
Fonte constante de amor








A essência do amor
Encontro no teu olhar
Que me lança num torpor
Me levando a sonhar









O Taj Mahal tem mistérios
De um império do passado
Nascido de um amor ansiado
Símbolo eterno sem critérios










Na hora certa de amar
Calma estou a te aguardar
Meu corpo freme se estás perto
Perco o controle por certo









Saudade palavra única
Da última Flor do Lácio
Usando longa túnica
De tom forte violáceo









Lacrimeja meu coração em dor
Mas não rimo com desamor
O pranto silencioso é água
A dor há de perdurar como mágoa










6 comentários:

Guilherme_net1@hotmail.com disse...

Belas trovas de amor... o coração falou mais alto! Parabéns!

Anônimo disse...

Sou um amante fiel das TROVAS.Por sorte encontrei-as tão fascinantes por aqui.Voltarei!

Felipe disse...

Adorei...

Fefoo aqui.

Beijão.

Arminda Castro disse...

Pequenos diamantes, como são delicadas!

Irene Sousa disse...

Como sou uma apreciadora desse gênero, vim parar por aqui e não me arrependo. Pelo contrário, lhe parabenizo!

Adriano disse...

Gostei demais dessas trovas!