quinta-feira, 11 de setembro de 2014

E viva o cordão encarnado!

Estado de Alagoas, década de trinta. Já na adolescência, lá pelos seus quinze anos, ela participava das apresentações públicas que colocavam em disputa os tradicionais cordões azul e encarnado. A mocinha vibrava pelo seu cordão encarnado, a cor de sua predileção.
Os tecidos vermelhos vinham da capital, Maceió, mas eram costurados por dona Cecília que caprichava na saia rodada e nos rendados.
E assim, a jovenzinha girava nas sapatilhas e ali, extravazava toda a sua alegria em direção aos olhos e corações dos rapazes que a assistiam, entre eles, aquele que viria a ser meu futuro e querido pai. E já dá pra saber quem seria a vaidosa menina? Ah, essa só poderia ser minha mãe, tão perfumada em suaves fragâncias, e muito graciosa naqueles trajes típicos.
Por isso, costumávamos ouvi-la na hora do almoço lá em casa, entoando a seguinte estrofe:
"Sou rosa vermelha,
Sou teu bem querer
A rosa vermelha encanta
Hei de amá-la até morrer"

As apresentações dos cordões azul e encarnado ainda fazem parte do folclore nordestino até os dias de hoje. E viva o cordão encarnado!

23 comentários:

cirandeira disse...

Que bela recordação! Esses "cordões" eram cheios de encantamento e de alegria, quando ainda não existia a indústria do turismo de hoje. Havia tanto sonho...Mesmo assim ainda é possível encontrar no interior do Nordeste muitos folguedos que nos encantam, não é, Van?
Em Parintins existe o cordão azul e o encarnado na festa do boi, mas é outra coisa: é todo estilizado e a indústria do entretenimento é quem comanda. Uma pena!

Um beijo

cirandeira disse...

Bem que eu desconfiava desse teu jeito expansivo e alegre de ser, mesmo em períodos mais difíceis :)
Eu também "viajei no tempo" quando falaste sobre "A princesa da perna fina": meus irmãos me chamavam de "princesa da perna fina", kkkkk Bons tempos, aqueles, hein?

beijos, querida!

ReltiH disse...

SE NOTA QUE ES UNA TRADICIÓN MUY BONITA, POR SU COLORIDO.
BESOS

vendedor de ilusão disse...

Olá Vanuza!
Vim lhe retribuir a gentil visita e lhe parabenizo pelo belo blog! Gostei muito, tanto que já o sigo! E não o seguirei somente pelo bom-gosto das imagens e a beleza dos posts, mas, principalmente, pelos seus textos. Um deles, em especial me aguçou curiosidade e voltarei com mais tempo para poder ler o Conto: "Mensagem dos meninos perdidos"; é soberbo! Parabéns!

Francisco Sobreira disse...

Querida Vanuza,
Passando por aqui pra lhe deixar um abraço e desejar um excelente fim de semana a você e aos seus.

MARILENE disse...

Que beleza! É preciso manter essas tradições, passá-las às crianças, enaltecer seu valor, para que nunca sejam abandonadas. Bjs.

O Sibarita disse...

Ei dona menina! kkkkk

Que porreta essas tradições que ao longos dos tempos vem morrendo por falta incentivos e até mesmo de pessoas que não se ligam mais nessas coisas tão boas!

Os cordões eram tão importantes que muitos casamentos ocorreram de uma paquera nos desfiles, né não? kkkkk

Muito dez sua postagem, recordar é viver!

O Sibarita

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Vanuza! Passando para agradecer a tua visita e gentil comentário, bem como apreciar este teu belo post. Lembrei-me dos anos 50, quando no pastoril havia a Mestra do cordão encarnado, a Contra-mestra do cordão azul e a Diana que era dos dois partidos. Tempo bom que me traz belas recordações.

Beijos e um ótimo domingo para ti e para os teus.

Furtado.

Ana Tapadas disse...

Parabéns pela mãe e pelo relato e por teu nordeste que, à distância, gosto muito! O teu desertão, Guimarães Rosa e tantos outros...

Beijos

Manuel Luis disse...

Gosto das tradições mesmo que faça parte da industria.
Tinha saudades de te ver e fico feliz por saber que tas bem, continua assim.
Bj

Vanuza Pantaleão disse...

FRANCISCO SOBREIRA deixou marcas profundas com o seu espaço cinematográfico aqui na blogosfera. Foi e sempre será um mestre respeitado e lembrado por nós, não só pelo seu grande conhecimento de cinema, mas pela sua postura educada e respeitosa para com os seus colegas.
Muitíssimo obrigada por sua gentil visita e também lhe desejo votos de uma bela semana, Sobreira.
Um enorme abraço, querido amigo!

PS:Apesar das suas despedidas, seu link continuará fazendo parte do nosso blog. Quando puderem, passem por lá e vejam com seus próprios olhos. O que é bom não pode ser olvidado.

O Árabe disse...

Viva, Vanuza! E salve as belas tradições deste nosso belo e imenso Brasil! Boa semana, amiga.

Daniel Costa disse...

Querida amiga Vanuza, por motivos alheios a minha vontade (até tinha escrito o comentário que não entrou). Ia em procura do teu blog, que não podia passar sem um comentário. Gosto muito do teu modo de escrever.
Quanto ao poema é muito verdadeiro.
De qualquer modo estou mais ou menos inteirado da realidade Nordestina.
Beijos

Rodrigo disse...

A verdadeira cultura brasileira que dever ser preservada pelo seu povo.
Já está na hora de saborearmos mais dessa riquíssima porção de originalidade regional que vem do nordeste do Brasil.

Um grande beijo!
Rodrigo

Vanuza Pantaleão disse...

Obrigada Rodrigo, meu amor!
Abençoadas sejam todas as nações do mundo!

Fá menor disse...

Que lindo!

beijinhos

Olhos de mel disse...

Viva sim, minha amiga! Personagens e grupos folclóricos que fazem o enriquecimento da nossa história.
Lindo seu post amiga!
Beijos meus e do seu netinho.

Anne Lieri disse...

Vanuza,tenho a maior vontade de conhecer essa festa! Muito linda suas fotos e adorei o texto,bem interessante! bjs,

Benno disse...

Oi Vanuza. Claro que me sinto honrado com sua referência ao meu blog e obrigado pela amizade que tem me dedicado ao qual retribuo plenamente :) Ando meio distante devido ao excesso de atividade, mas em breve vou voltar a postar e comentar.
um beijo

Ana Tapadas disse...

Voltei e deixo votos de bom fim-de-semana.

bjs

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Muito bom! Parabéns!

Ani Braga disse...

Oi Vanuza querida



As lembranças são tesouros.

Beijos
Ani

O Árabe disse...

Boa semana, Vanuza. Aguardo o próximo post!