quinta-feira, 28 de julho de 2011

Daniel, o Brasileirão

Um bonde lotado passa pela avenida. A tarde já vem caindo e o céu da cidade se desabotoa em tons múltiplos de azuis e rosa pálido.

Sapatos mocassins e jeans claro, vê-se um senhor grisalho, belo e vigoroso na sua maturidade. Ele entra num café de portal de madeira maciça, senta-se à mesa forrada de toalha quadriculada e, em voz muito baixa, pede ao garçom uma caneca de vinho verde acompanhada de sardinhas fritas ao azeite. Estamos em Lisboa.

O lugarejo tem apenas uma estrada sem fim que percorre a caatinga seca, mas que revela um umbuzeiro florido sob o sol escaldante, enquanto o gado faminto e magro devora um pé espinhoso, mas suculento, de mandacaru.Ouvindo um repentista velho e cego, Daniel oferece sua mão a uma cabocla de negras tranças. Ambos ouvem Pavão Mysterioso, o cordel mais cantado do sertão, cuja origem remonta à mais antiga tradição oral do povo brasileiro.

Lá, onde o fado nasceu sob xale negro e triste; aqui, onde o sanfoneiro anima a todos com forrós, emboladas e cocos, esse singular Poeta, participa e até canta, juntando sua voz a todas as vozes dos trabalhadores do sertão.Brasileirão de coração aberto em paz, segue Daniel Costa, reconstruindo essa ponte entre duas nações, Brasil e Portugal.

Ednardo, compositor cearense, uniu-se no passado ao Fagner, Belchior e Amelinha para reacender a cultura popular nordestina. Daí, nasceram "muitos filhos", entre eles, o resssurgimento da literatura de cordel onde Pavão Mysterioso tem seu ápice. O clipe surpreende por sua universalidade e estética puramente nordestinas, vamos curtir?
Beijos, amigo Daniel!
Um cheiro pr'ocês...

41 comentários:

lita duarte disse...

Que beleza!

Bjos.

lita duarte disse...

Maravilha, Vanuza.
Belo mesmo.

Bjos.

isa disse...

Que maravilha ler vc,minha querida!
Ler e "ler"nas entrelinhas!
Beijo.
isa.

cirandeira disse...

Essa "ponte" que construiste levou-se até Lisboa! Ai que vontade de comer umas sardinhas acompanhadas de um bom vinho verde! Fiquei com água na boca, huuumm. Portugal adentrou por esse nosso Brasilsão, e, apesar da colonização a que fomos submetidos, deixou-nos alguma coisa boa, como o cordel, p.exemplo. Essa música que o Ednardo resgatou tão belamente me traz boas recordações.O Pavão misterioso me remete a um mundo mágico, de beleza e de sonhos...!
Muito bom o teu post! Estás sempre nos proporcionando momentos de enlevo...!

beijos, querida

P.S.: A "brevidade da vida" não é propriamente difícil, nós é que temos dificuldades para aceitar as coisas como elas são de fato, não concordas?

Machado de Carlos disse...

Bela homenagem ao nosso Amigo Daniel. Adorei o seu espaço cativante!

Um Abraço!

RELTIH disse...

MUY BONITO POST. MUY BONITA DEDICATORIA.SIEMPRE UN PLACER VISITAR SU ESPACIO.
UN ABRAZO

Álvaro Lins disse...

Ler, reler e fazer a ponte:)!
Abraço

Desnuda disse...

Querida amiga,


Fui lendo e me deixando envolver na magia das suas palavras. Fui laçada pelo encanto do seu texto! Você e Daniel, meus amigos queridos! Parabéns aos dois. Maravilhoso post-homenagem.


Beijos com carinho, Van!

Daniel Costa disse...

Querida e amiga Vanuza

Tens o poder de me encantar. De certa maneira, apanhastes tics da minha personalidade. Alguns por força, deixaram de existir. Se fiquei completamente abstémio, por vontade própria. Digo em jeito de confidência: beber 5 (cinco) litros de vinho por dia, nos dias grandes em que trabalhei de sol a sol, nunca foi demais. Era como que um doping, para suportar as agruras, do campo, de um homem que aos 17 anos, era muito dificil superar. Como vivia na cidade de Peniche, 90 Km, a norte de Lisboa, um dos maiores portos de pesca do pais, fiquei especialista em assar e degustar lautas sardinhadas.
Ser brasileirão, sim e sinto-me fraternamente acarinhado e estimulado para o ser. Basta agora o teu post, com uma foto arranjada no Rio (Sarinha). Estou a ver a comentadora Lita, ontem ainda tive a discutir com a editora a garantia de sair a sua foto, como capista do meu terceiro livro, em edição. A nordestina, Ma Socorro, minha coo-autora do quarto livro. já em estudo editorial, etc.
Como grande amiga que és, ficas já convidada para veres o post (poema) que hoje vai sair, fala um pouco da cidade é dedicado a uma grande mulher lisboeta
Abres, por favor o link para ouvir o fado e a propósito, de Lisboa.
Com ele e subjcentes, a meu ver São Paulo é a segunda capital do fado?
Penso escrever sobre isso.
Beijos e um obrigado, muito sincero, querida amiga.

Olhos de mel disse...

Lindo post, minha amiga! Amei! Daniel é sem dúvida nenhuma essa pessoa maravilhosa, doce e que faz essa ponte cada vez menor.
A musica inesquecível! Tudo aqui é perfeito e harmônico.
Bom fim de semana! Beijos

Daniel Costa disse...

Vanuza

Já postei, estás comvidada.

Dou-te mais dois motivos para o meu brasilirismo: Os meus primeiros três poemas publicados, acabam de sair numa Antologia do Brasil; ontem respondi a um inquérito, para um blog, hoje com grade surpreza está postado, com os livros e um bonito selo alusivo, que me é oferecido.
Não sou de euforias, mas quem não gostaria?
Beijos querida

Débora Melo disse...

OLÁ VANUZA !
Muito bom você ser minha seguidora!
Sou de Pernambuco,mas moro em Goiânia,GO,há mais de trinta anos.
Foi meu pai que ,com suas mudanças,parou por aqui e aqui ficou,e aqui faleceu..
Quanto ao Elomar,sou fã das músicas dele,tenho os primeiros discos em vinil dele.Conheço 90% de suas músicas.Tem um Piauiense,cego,o Francisco AFFa,que mora aqui em Goiânia e que gravou várias músicas do Elomar.E já houve show do Elomar,em Goiânia,uns vinte anos atrás,cujo disco gravado aqui,no Teatro Goiânia,(CD) eu tenho.
Como já morei na cidade de Vitória da Conquista,Bahia,em cujo município mora o Elomar,tenho curiosidade sobre tudo sobre ele.Inclusive porque,quando eu era menino,morava no município de Serra Talhada,(Zona Rural)em Pernambuco e meu pai criava bodes e carneiros,igual ao que o Elomar faz hoje,nas Barrancas do Rio Gavião.No You Tube você acha quase todas as músicas dele.
Obrigado por comentar e visitar meu blog.
Bom fim de semana.
VOLTAREI

Aracy Crespo disse...

Bravo!! Vanusa,são poucas as pessoas capazes de prestar homenagens
aos amigos, o que mais me encanta é a maneira inteligente de suas palavras, Daniel, demonstrou o quanto ficou agradecido e emocionado. Parabéns por mais esta postagem...

Uma rápida historinha da Mirtes com um ex namorado que vivia reclamando:
- Tá vendo aquele cara, olha muito pra vc, e o outro fulano também etc... Cheio de ciumes vivia repetindo isso. Até o dia em que ela se enfezou e falou "Eles são muitos, mas, não podem voar" rsrs

Beijos com muito carinho no seu coração...e um belo final de semana.

DarkViolet disse...

A amizade é a troca de sensações na mistura que se entrelaça.

eva disse...

Que bom poder regressar ao teu convívio e logo com um texto que me relembra tanta coisa. Pessoa dizia que "a minha pátria é a língua portuguesa". Também! Mas Portugal e o Brasil tem tanta coisa em comum... É certo que o Brasil foi uma colónia e há sempre traumas que daí resultam. Mas tenho vários amigos brasileiros e nunca notei que houvesse má vontade contra nós ou a nossa cultura. Antes pelo contrário, muitos me dizem que se sentem em casa em Portugal. E é bom quando nos sentimos em casa.
Bjsssss

Anderson Meireles disse...

Incrível seu texto!
Maravilha de leitura se tem aqui!
Abraço com saudade!

Baby disse...

Foi muito bom ler o que de belo nos ofereceste neste post!
E foi lindo saber que ainda há quem construa "pontes" entre os homens e suas culturas.
Beijos.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Amiga querida!

Seu blog é uma verdadeira universidade:aprendemos,nos encantamos,nos surpreendemos com a sensibilidade da mestra!!!

Um beijo e meu carinho!

Sonia Regina

Daniel Costa disse...

Querida Vanuza

Poderá parecer ousadia, mas gostaria que lesses o poema que postei hoje no DANIEL MILAGRE.
Vale?
Um abraço de amizade

Vanuza Pantaleão disse...

Mas que doce ousadia, Daniel!
Tô indooooooo

Rodrigo disse...

Grande homenagem!
Aqui está um representante da intelectualidade artística portuguesa.

Everson Russo disse...

Simplesmente belo, Daniel é um mestre da poesia, um amigo incrível...super beijo de bom dia pra ti amiga.

O Árabe disse...

Belas homenagens; ao Daniel e à nossa música. :) Boa semana, amiga!

Fa menor disse...

E que nunca caiam as pontes entre nós :)

Everson Russo disse...

Um belo dia repleto de versos pra ti amiga,,,obrigado pelo carinho da sua visita...grande beijo.

Guilherme Pantaleão disse...

Esse cordel é uma relíquia do nosso cancioneiro.
Também sou amigo do Daniel, ele merece essa homenagem.

Elaine Crespo disse...

Olá Vanuza!

Que lindo post me emocionei. Estou um pouco frágil hoje e adoro a cultura da minha terra e mesclada com a um português que sabe encantar.

Linda mais linda mesmo!!

Um belo fim de semana!!

Beijos,
Elaine Crespo

Daniel Costa disse...

Querida Vanuza

Eu mendicante... pedia passes, no meu blog MUNDO E VIDA, uma entrevista feita à fadista Conceição Freitas. No fim tens link's do fado em São Paulo. O primeiro ~ é MARIA PAIVA ENTREVISTA COMCEIÇÃO FREITAS - conversa e fado.
Se aprecias fado, passa.
Beijos amiga

Jeanne Geyer disse...

No blog do matagal não deu pra comentar, adorei tudo lá...
aqui também gostei muito.
beijos

Vanuza Pantaleão disse...

Eu sabia que o meu Gui iria se manifestar como amigo e admirador do nosso querido escritor e poeta, Daniel. Valeu, filhote!!!

Lyra disse...

"Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos. Enquanto o amor passa, a amizade volta, mesmo depois de ter adormecido um certo tempo."

Já tinha saudades.
Beijinhos e até breve!

Lyra ;)

Canto da Boca disse...

Ô delícia, Vanuza!
Fizeste-me voltar à idade média e rever os feitos de Carlos Magno, e o Império Carolíngio, cujas conquistas eram atribuídas às divindades, e nunca à milícia de Magno, cujas vitórias eram contadas em formato de cordel.

Puxa, foste e me fizeste ir longe, amiga... Rever tudo isso num poste se dá graças á sua forma de escrever, que faz com que a nossa memória volte à nossa ancestralidade.
Além de valorizar uma tradição oral nordestina, recupera a nossa eterna ponte com os lusos; e as grandes vozes e "cabeças" dessa região!

Vanuza que primoroso poste!
Deixo um beijo grande e meus sinceros votos de um maravilhoso domingo!!

Fiquei cantarolando mais o Ednardo: "pavão mysterioooooso, pássaro formoso"!!

Obrigada pela ida ao Canto, sua presença lá é sempre querida e esperada!

Jeanne Geyer disse...

muito lindo! que bela homenagem, parabéns. beijos

O Árabe disse...

Boa semana, aVanuza; aguardo o novo post. :)

Olhos de mel disse...

Querida Vanuza; acho muito bonita e merecida essa homenagem. Adoro Daniel e ele conquista a todos pela sua simplicidade, carinho e respeito.
Boa semana, amiga! Beijos

Olhos de mel disse...

Querida Vanuza; tentei várias vezes deixar um comentário no Matagel e não consegui. Vou deixar aqui e se puder, poderia deixar por lá esse comentário?

Querida Vanuza; a natureza é sábia e maravilhosa. Adoro plantas e tenho a primeira e a última, dessas que mostrou. Mas a última cresceu tanto, que de vez em quando preciso cortar. Lindas demais!
Boa semana! Beijos
Não estou conseguindo logar e fica aparecendo que vou comentar como anônimo.

http://Olhoscormel.blogspot.com

DADI SILVEIRA disse...

LINDOOO!

BJSS

Malu disse...

Amiga querida,

Hoje estou passando apenas para lhe fazer um convite.
Estou falando do www.superlinks.blog.br que é um site agregador que vale a pena visitar, pois é mais um espaço no qual você poderá publicar seus links de matérias, pois é um site sério e com critérios bem positivos.
Espero que goste da dica.
Um grande abraço

DADI SILVEIRA disse...

Querida!
Bom dia para você.

Bjs

Vanuza Pantaleão disse...

Encerrando e agradecendo a Deus pela sua amizade, Daniel.

Drika disse...

Oi Van... tô aqui de novo amiga =)
Lindo o poema que Daniel fez a vc, parabéns querida=))

Gosto da música Pavão Misterioso, ela é bem brasileira mesmo, cantada com a vida!

Amiga... deixo um abraço grande, carinhoso e desejando uma ótima semana...=***