sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Coelhos e Canteiros - Mark aproxima-se de Castanho, mas...

Mark e Castanho: uma difícil e estranha convivência.
Camiseta rasgada e bermudas desbotadas demonstram muito bem o quanto o moço não dá a mínima para a aparência. O que ele pretende mesmo é chegar à toca de Castanho e para atraí-lo, leva-lhe guloseimas, mas o bicho está arisco, selvagem, seus olhos flamejam como chispas de fogo no breu subterrâneo onde montou suas barricadas para enfrentar o inimigo. Mas o homem insiste e enfia seus longos dedos por entre a terra escura e úmida.
- Aiiiii! Ouve-se um grito estridente que atravessa os tímpanos mais sensíveis da vizinhança. Castanho acerta-lhe uma dentada daquelas. (-Ora, me respeite, seu humano enxerido!)
Bem, por linhas transversas, a tática de retirar o coelhinho da toca até que deu resultado e funcionou no sentido de que todos vissem o animalzinho pendurado no dedo indicador de Mark que sangrava dolorosamente.
- Bicho malvado, vou te levar para a panela agora! (mais uma promessa de vingança que não se concretizaria)
E aí, entra a menina Anabela falando com o coração que só as meninas possuem:
- Pai, você tá maluco? Meu coelho não vai pra panela nenhuma! Vê se para de fazer drama, tá?
E o pai cedeu. Curativo no dedo, retirou o empoeirado carrinho domingueiro da garagem e todo mundo se acomodou ali como pode. -Vamos ao shopping? Vamos!
Mas cá entre nós, isso é o que veremos a seguir. Castanho, menos tenso e no colo macio de sua dona, tira uma confortável soneca. Mas de repente, um solavanco, uma freada brusca, muda completamente os planos dessa família de classe média que se equilibra em dívidas de cartões de crédito para sobreviver.
Uma passeata de pessoas de todos os naipes sociais, idades diversas, até de crianças de colo, atravessa o caminho de Mark. Cartazes imensos pedem Paz, Ética, Respeito e o Não à Corrupção se fazem tremular nas mãos do povo. São, todos nós sabemos, aqueles direitos básicos que sempre nos faltaram há tanto, tanto tempo que nem temos  mais certeza se existiram algum dia, a não ser nos velhos e empoeirados dicionários.
Gertrude, a mãe, tem uma intuição e pondo sua delicada mão no rosto do marido, apenas lhe pede: - Pare esse carro, meu bem! Vamos descer e seguir essa pacífica gente boa. Mark também sentindo o mesmo desejo, embrenha-se entre desconhecidos e sente-se importante. Ele e sua família agora têm um grande objetivo na vida, vão lutar pela PAZ. Aquele sonho da noite anterior logo lhe vem à lembrança e aqueles rostos já lhe parecem familiares; o garotinho louro despenteado, o magro senhor moreno ao seu lado. Todos formam um só bloco, um belo amálgama de algo que sempre quis viver, mas nunca viveu...
"Eu tenho o coração selvagem e essa pressa de viver..." Belíssima composição do poeta-compositor Belchior, cantamos juntos? Eu, por exemplo, sempre que posso, me deixo levar pelo universo adentro desse genial cearense. Selvagem, mas doce e amoroso.
___________________________________________________________
Amigos, responderei a todos os comentários no decorrer da próxima semana. Tenham todos um bom e repousante fim de semana!

17 comentários:

ReltiH disse...

INTERESANTE Y SIGNIFICATIVO TU RELATO.
UN ABRAZO

Guaraciaba Perides disse...

O doce pássaro da juventude onde nossos sonhos "podem ser concretizados"...saudades das ilusões de outrora quando sempre haveria uma solução. E no entanto, é preciso sonhar!
Um abraço

Fá menor disse...

Nada melhor que a Paz para bem começar o ano!

O Árabe disse...

Belo texto, Vanuza! E bem assim é a vida das famílias de classe média: pedindo paz... e nadando nos cartões de crédito, para sobreviver! :) Boa semana, amiga.

vendedor de ilusão disse...

Não só você tem o prazer de "viajar" ao som dessa bela canção, eu também! Entretanto, minha viagem é motivada muito mais pelo encantador e expressivo Conto que me prendeu desde a primeira publicação...
Abraço.

Benno disse...

Eu havia postado um texto pequeno com desejo de bom ano logo depois do Natal. Mas acabei retirando do ar. Foi um pequeno resquício.
Ando sem vontade nenhuma de escrever.
Pelo menos, não preciso me preocupar em não engordar, pois já estou gordo...rs...
Beijo e feliz 2015

cirandeira disse...

Querida amiga, é muito bom ver-te de volta!, estava com saudades. E ouvindo Belchior a saudade aumente. porque remete-me a uma época em que alimentávamos muitos sonhos esperançosos. Parece que hoje em dia ele já não tem tantas esperanças, navega no mundo real, rsrs
Esse coelhinho correndo assustado nos serve de alerta, qualquer vacilação, zás! Corre-se o risco de ir pra uma panela ou até um caldeirão...precisamos rir muito, zombar do que acontece à nossa volta nesses tempos difíceis, não é?
Pensei que estavas fazendo um cruzeiro pelo mundo, mas 'lá fora" está tudo tão complicado, que é melhor ficarmos por aqui mesmo.
Que essa virada de calendário nos mostre novas páginas mais interessantes ao longo deste 2015!

Um beijo carinhoso

Daniel Costa disse...

Querida Amiga Vanuza

As tuas histórias, mesmo as de fábulas, são sempre lindas.
Melhor foi saber que já tens o TOP SECRET OLAVO, que tem muito do Brasil.
Beijos

Miguel disse...

Olá Vanuza
Não nos conhecíamos - queria você dizer - agora já nos conhecemos porque você teve a gentileza de visitar o meu humilde espaço.
Abençoado o blog do Rosemildo que - em boa verdade foi ele o culpado -:) - proporcionou este agradável encontro.
Obrigado, a si e a ele...
Como "apanhei o trem em andamento" apenas vi as orelhitas do coelho, no meio do canteiro, a sorrir da minha ignorância. Gostei do texto mas não percebi, é claro!
Mas quando eu tiver tempo leio tudo, e o coelhinho vai deixar de rir de mim -:)

Minha amiga, que seu 2015 seja repleto de coisas boas.
Um beijo
MIGUEL / DEUSA

O Sibarita disse...

kkkkk Esse coelho nos faz viajar na maionese, né não? kkkkk

O castanho comeu o dedo do Mark foi fia? kkkkkkkkk

Dente de coelho é afiado e serve de patuá viu? kkkkkkkkk

Ao final fábula o melhor de tudo selar a paz, ô maravilha! kkkkk

E o melhor de tudo sem roubalheiras... kkkkkkkk

O Sibarita

Manuel Luis disse...

Uma verdadeira fábula.
Saúde.
Bj

O Sibarita disse...

Ei sua menina! kkk E esse coelho não sai da cartola não? kkkkkkkk

E como está a senhora!kkkkk

O Sibarita

O Árabe disse...

Boas férias, Vanuza... e boa semana. Aguardo o próximo post.

Rodrigo disse...

A Paz deveria ser a prioridade em nossas ambições...
Deveríamos honrá-la e desejar que seu governo seja eterno entre as nações...
Estamos preparados para mais uma viagem espiritual?

Grande Beijo!
Rodrigo

O Árabe disse...

Boa semana, Vanuza. Aguardo o próximo post.

Vanuza Pantaleão disse...

Obrigada, meu amorzinho!!!

Graça Pereira disse...

Achei maravilhosa esta marcha pela Paz...talvez o orelhudo tenha ajudado. Coitados dos bichos ...eles precisam tanto de gente de paz que zele por eles...Acredito que esta marcha se irá estender pelo país todo e quem sabe?...Pelo mundo!
Beijo
Graça