segunda-feira, 28 de julho de 2014

Mensagens dos meninos perdidos - segunda parte

Mochila nas costas, Nieta pega o metrô, desce e sai percorrendo trilhas e ruelas escuras; já passa da meia-noite. O frio intenso e mais aquele silêncio perturbador lhe atravessam o corpo e a mente. Tem um pressentimento forte, sufocante. Que meninos seriam esses que moram em grupo numa cidade tão incomum chamada Swiftilândia? 
Mas ela precisa desincumbir-se o mais rápido possível dessa missão, pois carrega naquela negra mochila as caixas que lhe enviaram. Caixas que contêm mensagens vivas, enigmas de uma região antiga e abissal.
De repente, alguém pula à sua frente. É Tonico Pretinho, faca afiada que cintila à luz do luar em uma das mãos. Rápido nos reflexos, somente grita:
- Parada aí, moça!
-------------------------------------------------------------------------------

Na próxima postagem, vamos revelar onde moram e quem são os pequenos habitantes desse lugar fora do mapa. Aquele abraço!

14 comentários:

Rodrigo disse...

O tema enigmático nos faz aguardar...ansiosamente...
O que nos reservará Swiftilândia?

cirandeira disse...

Eita, mulher danada! Esse tema pode dar muito pano pras mangas, hein? É triste, complexo e bastante atual...Aguardemos, pela tua maestria em contar estórias, vale a pena aguardar!!!
E esse novo layout com lâmpadas(?)
sobre a cabeça ficou ótimo.

Beijos, querida

Fá menor disse...

Continue escrevendo sempre!

Daniel Costa disse...

Querida Vanuza

Guião promete, espero não deixar passar o seguimento, que vais conduzindo com mestria.
Beijos amigos

Vanuza Pantaleão disse...

Nem eu sei, Rodrigo. Vamos ver o que a musa da inspiração nos reserva. Bjssss

Manuel disse...

Começo a ficar ansioso pelo que vem a seguir.
A narrativa, muito boa, é prenuncio de uma estória cheia de mistério e revelações.
Fico ansioso pela continuação.
Um abraço

Kátia De Carli disse...

Tempos que não venho aqui... mas como sua alma é violeta (não me pergunte por que rs) vc sempre me perdoa! Mas tinha que ser logo no meio de uma história que me enche de curiosidade? Eu mereço... Mais uma lição a aprende: paciência! Beijo carinhoso

O Árabe disse...

Quer nos matar de curiosidade, não é, Vanuza? Certo, eu espero! :) Boa semana, amiga.

ReltiH disse...

MUY BUENO, ESTÀ MUY INTERESANTE. VOLVERÈ POR LA CONTINUACIÒN.
UN ABRAZO

Maria Letra disse...

Adivinharia, talvez, para que ponto do mundo foi atraída e inspirada para esta estória que irei seguir...
A primeira parte confirma aquela sua sensibilidade de escrita que já conhecia.

PAULO TAMBURRO. disse...

VANUZA,

texto absolutamente, profissional e com a competência dos bons profissionais.

Vou acompanhar!

Um abração carioca.

O Sibarita disse...

Ô dona moça! kkk

Eita que esse texto será revelador, né não? kkkkk

Um bom tema, para um excelente romance, que assim seja meu pai! kkkkkkkk

Ô sua menina e como está você? Conte tudo! kkkkkk

Daqui os Orixás mandam um axé para sua caminhada, oi que maravilha! kkkkkkkk

O Sibarita

Olhos de mel disse...

Amiga querida; adora deixar a gente curiosa, heim? Mas é bom porque desperta a vontade de ler o próximo...
Beijos

Graça Pereira disse...

Julgo conhecer esses meninos...há alguns por aqui e...do outro lado do mundo também havia...é uma espécie mal fadada que nunca termina...
Como será o procedimento de Nieta?
Beijo
Graça